quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

Mistérios e fatos bizarros da Rússia.

Olá senhoras e senhores. Como tem um território muito grande, toda sorte de estranheza pode acontecer na Rússia. E acontece! Vou tentar listar algumas por aqui. Vamos a algumas delas.

Foto do local tirada nos anos 20 (fonte)
O evento de Tunguska. Às 07:17 da manhã de 30 de junho de 1908 aconteceu algo insólito em uma distante região do centro norte siberiano. Os poucos moradores locais da etnia Tungús relataram ter visto uma grande bola de fogo que "dividiu o céu em dois" e logo um enorme estrondo. Provavelmente por conta de questões logísticas e da confusão reinante no país naquele período, apenas vinte anos depois uma expedição conseguiu chegar ao lugar e tirar algumas fotos e especular muito a respeito do que poderia ser aquilo. O cenário encontrado por esses exploradores foi desolador: milhões de árvores caídas, mas algumas ainda de pé, completamente nuas, sem galhos nem folhas, num raio de cerca de 2000 km², além de a área também ter um nível de radiação absurdamente mais alto que das regiões de entorno. Não há nenhuma cratera no lugar, nem nada. Até o momento não se sabe exatamente o que aconteceu, mas a teoria mais aceita no momento é de que um meteorito entrou na atmosfera terrestre, mas se desintegrou na entrada e não chegou a tocar o chão, mas ao que parece foi possível ver a desintegração, o som e o que houve com as árvores com o grande deslocamento de energia. Existem diversas teorias do que pode ter sido essa coisa, mas há poucas certezas. Esse incidente é parecido com um que aconteceu no estado do Amazonas em 13 de agosto de 1930 e que foi denominado evento do Curuçá ou "Tunguska brasileiro".
Para saber mais sobre isso:

O grupo que desapareceu nos Urais (fonte)
O incidente do Passo Dyatlov. A mais de 600 km ao norte da cidade de Yekaterimburgo, nos Urais, a cadeia de montanhas que separa a Europa da Ásia, um grupo de nove esquiadores e que faziam parte do Instituto Politécnico do Ural que objetivava atingir Otorten, uma montanha 10 km ao norte do ponto do incidente foi encontrado morto em circunstâncias inexplicadas. Na noite de 2 de fevereiro de 1959 algo que não se sabe o quê, os fez rasgar suas tendas de dentro para fora, aparentemente fugindo de algo. Havia uma forte nevasca naquela noite e 5 corpos foram encontrados apenas em roupas de baixo mais ou menos perto de um grande e antigo pinheiro, que era a fronteira para uma ravina densa e de difícil penetração. Esses cinco infelizes foram encontrados no dia 26 de fevereiro, cobertos com uma fina camada de neve. Os outros corpos foram encontrados somente em maio dentro da ravina, a cerca de 1,5 km de onde estavam fixadas suas barracas e cobertos com uma espessa camada de neve. Um desses quatro (uma mulher) foi encontrada sem a língua. A maioria dos corpos não tinha lesões aparentes (apenas um tinha um grande ferimento no tórax) e alguns tinham danos no crânio e cérebro e um tinha um traumatismo craniano considerável. Muito se especula do que pode ter acontecido aos esquiadores que, embora não profissionais, eram experientes no esporte e sabiam bem para onde iam. Para terminar, o lugar onde onde eles pararam e onde o mistério aconteceu é conhecido como Kholat Syakhl (Холат Сяхл), que na língua do povo Mansi, oriundo da região, significa "Montanha dos Mortos".
Para saber mais sobre isso:

Onde ficava a rádio até 2010 (fonte)
A inexplicável rádio fantasma. Pois não é que existe uma rádio que funciona 24 horas por dia e que não se tem ideia do que ela transmita? Esta é a UVB-76 (УВБ-76) e que você pode sintonizar no seu rádio de ondas curtas. Essa estação emite um "bip" de mais ou menos 0,8 segundo a cada 1-1,3 segundo e algumas vezes o bip é interrompido por algum tipo de mensagem em código. O primeiro registro de atividade da rádio foi em 1982 e desde 2010 houve um aumento em sua atividade. Por coincidência, em 2010 a rádio mudou de lugar. Ela ficava próximo a Moscou, em Povarovo, uma ZATO (ЗАТО), que é a sigla para uma cidade fechada na Rússia, como é Seversk, por exemplo. Alguns malucos foram visitar as antigas instalações da rádio e alegam que se trata de uma base militar abandonada. Desde 2010 ela provavelmente fica em algum lugar na Pskovskaya oblast', no noroeste do país, na fronteira com a Estônia.

Parece que o sinal vinha daqui (fonte)
Alguns chamam a rádio de MDZhB por causa dos nomes Mikhail, Dmitri, Zhenya e Boris (МДЖБ), Isso porque entre setembro e novembro de 2010, uma série de mensagens foi transmitida e todas, exceto a do dia 10 de setembro, começavam com a sigla MDZhB.. Eu mesmo fiquei ouvindo a rádio enquanto escrevia esse post e, para a minha surpresa, por volta das 2 da manhã (meu horário de Tomsk, GMT +7), o "bip" foi interrompido e um código morse foi transmitido por alguns segundos, antes de voltar o "bip" monótono. Foi interessante e algo assustador ouvir isso. Não consegui ouvir uma voz em uma transmissão ao vivo ainda, mas não fico 24 horas ligado nela, como algumas pessoas o fazem, ou tentam fazer. Ah, e a transmissão parece ser ao vivo mesmo, não apenas um som gravado e repetido. Isso é suposto porque uma vez foi possível ouvir algumas batidas na mesa e coisas se movimentando. Apesar de tantas transmissões, investigações, a rádio está envolta em um grande mistério. Ninguém consegue decifrar o que é isso. Talvez por isso haja um caminhão de teorias da conspiração sobre ela. Para escutar a rádio ao vivo, basta acessar esse link. Ao entrar, escolha html5 e quando o painel de opções abrir, coloque no dial 4625 kHz e escolha no modo de banda USB.
Para saber mais sobre isso:
O meteorito que deu um susto em todos que o viram (fonte)
O incrível meteorito que caiu nos Urais. Em 15 de fevereiro de 2013, a cerca de 09:15 da manhã, uma luz rasgou o céu na região dos Urais, mais ou menos na perto da região de Chelyabinsk. Cerca de 1000 pessoas ficaram feridas, principalmente por causa de estilhaços de vidros que foram quebrados com o impacto da queda. O brilho e o estrondo foram enormes e foram registrados por algumas pessoas, especialmente as que tinham câmeras nos seus carros ou por câmeras de trânsito. Uma bola de fogo a mais de 51.000 km/h é mostrada cruzando os céus e explodindo em algumas imagens. Depois de alguns meses foi relatado que cientistas russos conseguiram recuperar uma parte do meteorito que pesava uns 600 quilos! No mesmo dia aconteceu de um meteoro passar bem perto da Terra, mas uma coisa não tem nada a ver com a outra. Lembro que foi bastante falado na época que poderia ser um experimento do Exército russo e coisas assim. Bom, a internet está recheada de teorias malucas sobre tudo. Deixo alguns links e uma compilação de algumas câmeras que pegaram a queda. Impressiona.
Para saber mais sobre isso:


Por enquanto é isso amigos. Existem muito mais coisas estranhas e inexplicáveis que acontecem e aconteceram na Rússia, como os domos metálicos perdidos no Vale dos Mortos ou o Ninho da Águia de Fogo. Se souber de alguma coisa, é só comentar aqui embaixo. Até a próxima!
Ler mais »

quarta-feira, 23 de novembro de 2016

A vila Voskresenskoye e a sua igreja

Olá, amigos! Dessa vez vou falar um pouco sobre a vila que deu o nome para a cidade da minha esposa, Voskresensk. 

A vila, a igreja e algumas vacas
Se a cidade de Voskresensk é considerada jovem pelos padrões russos (fundada oficialmente em 1938), a história do lugar já é bem longa. Os arqueólogos acharam traços de povos eslavos e fino-úgricos que moravam na região antes do século XIII. A vila Voskresenskoye foi mencionada em documentos de 1577, mas com certeza ela é mais antiga. Ela existe até hoje e fomos lá visitar os parentes da minha esposa que desde sempre moraram nessa vila.

Pegamos um ônibus e viajamos mais ou menos 20 minutos até a fronteira de Voskresensk. Existe a possibilidade de ir até um ponto na vila, mas descemos um pouco antes para andar e curtir a paisagem rural. Passamos pelos campos e uma vila vizinha de Voskresenskoye chamada Medvedka. Hoje em dia essa vila é principalmente um lugar para datchas. É cheia de pequenas casinhas com jardins. Muitas são de madeira.

A igreja da vila em 1987, como era na infância da minha esposa
Já em Voskresenskoye as casas são maiores, porque muitas pessoas sempre moram lá. Aqui você pode encontrar algumas casas do século XIX, inclusive a casa dos nossos parentes. Ela é feita de madeira e possui o sení, um comodo tradicional das casas antigas na Rússia. O sení é um corredor com um pequeno quarto que serve para guardar comidas e utensílios. É um lugar que sempre está frio, mesmo no verão. Como os russos sempre comeram muitos produtos de leite, eles tinham que ter uma geladeira muito antes de ela ser inventada em sua forma moderna. A casa possui muitas janelas para ter bastante luz, o que é também tradicional. Todas as janelas e a entrada normalmente eram decoradas com detalhes de madeira. É interessante que as pessoas da vila nunca trancavam as portas. Hoje os hábitos já mudaram. Mas a minha esposa conta que quando ela era pequena, as pessoas deixavam as casas abertas ou trancavam somente a parte de dentro. O pequeno corredor na entrada estava aberto, caso alguém fosse visitar e cansou na viagem, mas não achou os donos da casa.

Dentro da igreja, 1987
Na parte central dessa vila fica a igreja da Ressurreição de Jesus. Esse é a igreja mais respeitada na cidade. Ninguém sabe quando exatamente começou a história dela. Contam que uma versão de madeira existia muitos séculos atrás. O prédio moderno foi construído entre os anos de 1891 e 1898. No ano de 1930 a igreja teve todos seus tesouros roubados e foi quase destruída. Em 1937 o padre da igreja foi fuzilado. A avó da minha esposa conta que também tiraram as posses dos pequenos proprietários rurais. Ela lembra como falaram para a família dela trazer todas as vacas, cabras e porcos para um kolkhoz (uma fazenda coletiva dos tempos soviéticos) e tomaram suas terras, deixando somente um pedaço com a casa e jardim. Quem não trouxesse, teria grandes problemas. Não deu para esconder nem a vaca, que as meninas da família consideravam a sua amiguinha.

A igreja reformada hoje
A igreja permaneceu em ruínas até os anos noventa quando começaram a receber doações para a restaurar. Hoje ela está novinha e é visitada por muita gente. Perto da igreja fica uma escola feita de madeira. Essa escola funciona já há muitos anos e não parou nem nos tempos da Segunda Guerra Mundial. Como uma vila pequena, não há muito mais para se ver no lugar. Se Voskresensk não é uma cidade muito grande, a vila Voskresenskoye é ainda menor.

Por enquanto é isso, pessoal! Se tiver alguma dúvida, podem perguntar aqui nos comentários que eu respondo. Até a próxima!
Ler mais »

sexta-feira, 18 de novembro de 2016

O Museu Histórico Estatal em Moscou

Amigos, olá! Logo no segundo dia de 2016 visitamos o Museu Histórico Estatal, em Moscou. Ele é muito grande e interessante. Olha só um pouco do que encontramos por lá.

Portão de entrada do museu
O Museu Histórico Estatal fica, como você já percebeu, em Moscou. É o primeiro prédio que você vê quando sai do metrô na estação Okhotny Ryad e olha para a Praça Vermelha, bem ao lado do Kremlin de Moscou. O endereço dele é Praça Vermelha, número 1, talvez o mais emblemático da Rússia. Ele é um prédio vermelho e alto, mas de fora parece menor do que é por dentro. O prédio aliás, foi a primeira sede da Universidade Estatal de Moscou e, provavelmente, foi lá que criaram a letra Ë, em uma reunião da Academia de Ciências da Rússia. Quando você sai do metrô e caminha em direção ao museu, sua entrada fica do lado esquerdo, passando pelos grandes portões de entrada da praça. A entrada inclusive fica em frente a catedral de Kazan. Este é o museu mais importante da Rússia, na minha opinião. Existe o Hermitage em São Petersburgo, que é muito famoso e possui um acervo maior que este museu, mas em importância de peças, eu acredito que esse museu é mais representativo. Claro que ele é uma parada obrigatória para quem visita a capital russa.

O grande Museu Histórico Estatal
Falando sobre o museu, ele é muito grande e possui muitas salas, corredores, escadas etc. É muito difícil (para não dizer impossível) descrever tudo que você vai ver por lá, mas você vai ver um acervo muito abrangente da história russa, desde os tempos pré-históricos até os últimos momentos da URSS e também algo da Rússia moderna. Existem desde peças muito pequenas e rudimentares, feitas de pedra e madeira a outras grandes em metal e porcelana. Tudo muito legal. E não estão presentes apenas peças encontradas na Rússia, mas também em regiões vizinhas e que hoje conformam outros países, como Armênia, Azerbaijão, Geórgia, Cazaquistão e outros mais que um dia fizeram parte do território russo. Claro que nem tudo está em perfeito estado, alguns estão bem deteriorados para falar a verdade. Ainda assim acho que vale a pena dar uma olhada em tudo por lá.

Uma das raras fotos que ficaram boas da parte interna do museu
Algumas das coisas que mais me chamaram a atenção foi uma caixa retangular branca, creio que feita de mármore e que foi encontrada no sul da Rússia, na região de Krasnodar. Pelo que entendi ela era uma espécie de urna funerária onde eram depositados os corpos de pessoas importantes que faleciam à época, nos primórdios da civilização naquela região. Você também encontra lá alguns exemplares de armaduras e armas antigas, usadas em diversas guerras, até nas de conquista da Sibéria no século XVI. Além deles, você vê alguns instrumentos ainda mais antigos, feitos de madeira e pedra, esse sim acho que são dá época das primeiros assentamentos humanos no território russo, muitos séculos antes da era Cristã. Vemos também alguns exemplos de joalheria, com peças de ouro e pedras preciosas. Infelizmente o lugar não é favorável para fotos, elas saem sempre borradas e desfocadas, por isso, não dá para colocar muita coisa por aqui. Você precisará ir até lá para conferir tudo isso que estou tentando descrever aqui.

Maçanetas antigas de formato curioso e sugestivo
Uma última curiosidade é que o Museu Histórico Estatal faz parte de um circuito histórico da região central que inclui também a Basílica de São Basílio e do casarão dos boiardos Romanov que fica bem pertinho da Praça Vermelha. Se você conseguir visitar os três no mesmo dia, você se sentirá feliz e cansado, já que os museus são grandes e eles são algo caros para todos de uma vez. Mas você pode vê-los separadamente também. Não há uma ordem específica para visitá-los, mas eles de certa forma se complementam.

Por ora é tudo pessoal. Se tiverem algum comentário a fazer a respeito do museu, é só escrever aqui embaixo. Se quiserem falar de outra coisa, é só dar uma olhada em outro post porque possivelmente já falei sobre o que você quer saber. Até a próxima!

Informações úteis:
Horário de funcionamento: de sexta à quarta, das 10:00 às 19:00. Quinta feira: das 11:00 às 20:00
Como chegar: desça na estação de metrô Okhotny Ryad (Охотный Ряд) da linha vermelha, Ploschad' Revolutsii (Площадь Революции) da linha turquesa ou Teatral'naya (Театральная) da linha verde escuro. Todas elas na verdade são mais ou menos a mesma estação, mas com saídas para lugares diferentes. Saindo delas, dirija-se à Praça Vermelha (é possível vê-la saindo de todas as estações mencionadas). O museu é um prédio vermelho alto e está bem ao lado dos portões de entrada da Praça Vermelha (mais perto das estações Okhotny Ryad e Teatral'naya portanto).
Preço: 350 rublos.
Ler mais »

sexta-feira, 11 de novembro de 2016

Divisões regionais da Rússia

Olá! Dessa vez venho só para dar algumas informações sobre a Rússia, de caráter de divisão política do seu enorme território.

Números das regiões nas placas de carro russas (fonte)
A Federação Russa (Российская Федерациа) é, como você já sabe, o país com maior extensão territorial do planeta. Dizem que é até maior que Plutão, o planeta que havia sido rebaixado, mas que parece que voltou à "primeira divisão" dos planetas, mas há controvérsias a respeito disso (ser maior ou não que Plutão). Esse vasto país é dividido em oitenta e cinco territórios. Esses territórios são classificados como Cidades Federais, Oblast', Krai, Repúblicas e Regiões Autônomas, cada um com níveis de autonomia diferentes. Além dessas, também há agrupamentos como as regiões brasileiras. Elas são chamadas de Distritos Federais. Uma coisa interessante é que você pode identificar de qual região vem um carro olhando o número do lado direito da placa. Cada uma das divisões do país tem um número de placa (algumas podem ter dois números diferentes, outras até três ou mais, dependendo da necessidade). Colocarei o(s) número(s) da(s) região(ões) em colchetes [] ao lado do nome do lugar. 

Simferopol', capital da Crimeia (fonte)
Antes de nominá-las, só queria dizer que encontrei versões em português para os nomes das divisões, mas alguns deles são bem diferentes dos originais em russo, imagino que por causa da falta de relação de alguns sons do russo no português. As vezes os nomes em português podem parecer um pouco estranhos (e até engraçados para os russos), mas é o que temos. Para você entender como fiz a descrição, coloquei o nome em português e em russo juntos, separados por uma barra. Quando o nome da capital da região é diferente do nome da região, ele está indicado em português apenas em parênteses após o nome em russo. Lembrando que, quando o nome termina em "-sky", ele é um adjetivo derivado do nome da cidade. Por exemplo "Krasnodarsky" é um adjetivo de "Krasnodar". As oblast são sempre femininas, ou seja, em russo você vai encontrar os nomes terminado em "-aya", como "Tomskaya Oblast'", que é a oblast de Tomsk. Após as devidas explanações, vamos aos nomes de todos os estados dentro da Rússia e suas divisões:

Sevastopol', na Crimeia (fonte)
Cidades federais (Федеральние Города)
São as cidades que já foram capitais da Rússia moderna e, após a retomada da Crimeia à Ucrânia, Sevastopol', a maior cidade da região, ganhou esse status. São os locais que recebem o maior investimento federal. Elas apenas são três:
Moscou/Москва [77, 99, 177, 197, 199 e 777]
São Petersburgo/Санкт-Петербург [78, 98 e 178]
Sevastopol'/Севастополь [92]

Oriel (fonte)
Oblast' (Область)
É o tipo de divisão que possui o maior número de territórios. São quarenta e seis no total. São divisões regionais equivalentes aos estados brasileiros. Além dessas, existe uma oblast' autônoma, a obscura Oblast' Autônoma Judia/Евреиская Автономная Область (Birobidzhan) [79], que tem um nível de autonomia um pouco maior, mas que não é tão independente quanto uma república, por exemplo. São elas:

Amur/Амур (Blagoveschensk) [28]
Arkhangelsk/Архангелск [29]
Astracã/Астрахан [30]
Belgorod/Белгород [31]
Bryansk/Брянск [32]
Chelyabinsk/Челябинск [74 e 174]
Irkutsk/Иркутск [38 e 85]
Ivanovo/Иваново [37]
Kaliningrado/Калининград [39 e 91]
Kaluga/Калуга [40]
Kemerovo/Кемерово [42 e 142]
Kirov/Киров [43]
Kostroma/Кострома [44]
Kurgan/Курган [45]
Kursk/Курск [46]
Leningrado/Ленинград (São Petersburgo) [47]
Lipetsk/Липецк [48]
Magadã/Магадан [49]
Moscou/Москва [50, 90, 150 e 190]
Murmansk/Мурманск [51]
Nijgorodsky/Нижгородский (Nijny Novgorod) [52 e 152]
Novgorod/Новгород [53]
Novosibirsk/Новосибирск [54 e 154]
Omsk/Омск [55]
Orenburg/Оренбург [56]
Oriol/Орёл [57]
Penza/Пенза [58]
Pskov/Псков [60]
Rostov/Ростов [61 e 161]
Riazan/Рязань [62]
Sakhalin/Сахалин (Yujno-Sakhalinsk) [65]
Samara/Самара [63 e 163]
Saratov/Саратов [64 e 164]
Smolensk/Смоленск [67]
Sverdlovsk/Свердловск (Yecaterimburgo) [66 e 96]
Tambov/Тамбов [68]
Tomsk/Томск [70]
Tula/Тула [71]
Tver'/Тверь [69]
Tyumen'/Тюмень [72]
Ulyanovsk/Уляновск [73 e 173]
Vladimir/Владимир [33]
Volgogrado/Волгоград [34]
Vologda/Вологда [35]
Voronezh/Воронеж [36 e 136]
Yaroslavl/Ярославл [76]


Stravropol' (fonte)
Krai (Край)
Nos dias de hoje não existe uma diferença real entre oblast' e krai. A diferença de nomes é apenas por conta da tradição. Nos tempos da União Soviética sim havia alguma distinção. O krai não poderia ter uma oblast' autônoma dentro de si, ao passo que poderia haver uma oblast' autônoma (que era mais comum naqueles tempos e que praticamente já não existem hoje em dia) dentro de outra oblast'. Uma curiosidade sobre os krai é que, com excessão do Perm'sky e do Stavropol'sky, todos fazem fronteira com outros países ou com o mar. São nove as regiões hoje denominadas como Krai:

Irkutsk (fonte)
Altaisky/Алтайский (Barnaul) [22]
Kamchatsky/Камчацкий (Petropavlovsk-Kamtchatsky) [41 e 82]
Khabarovsky/Хабаровский [27]
Krasnodarsky/Краснодарский [23, 93 e 123]
Krasnoyarsky/Красноярский [24, 84, 88 e 124]
Perm'sky/Пермьский [59, 81 e 159]
Primorsky/Приморский (Vladivostok) [25 e 125]
Stavropol'sky/Ставропольский [26]
Zabaikalsky/Забайкалский (Tchitá) [75 e 80]



Petrozavodsk (fonte)
República (Республика)
Elas são quase como um país com diversas regalias que as oblast' não gozam, como editaras leis próprias, ter seu próprio parlamento etc. São quase como um país independente, mas claro, estão todos sob o controle federal. Pelo que entendi, é como o Reino Unido, que tem quatro países independentes (Inglaterra, Escócia, Irlanda do Norte e País de Gales), mas estão juntos. Essas repúblicas não são independentes, mas se governam com largo nível de autonomia. Vinte e uma repúblicas compõe o país:

Adiguésia/Адыгея (Maykop) [01]
Altai/Алтай (Gorno-Altaisky) [04]
Bascortostão/Башкортостан (Ufa) [02 e 102]
Buryatia/Бурятия (Ulan-Ude) [03]
Cabárdia-Balcária/Кабардино-Балкарская (Nalchik) [07]
Cacássia/Хакасия (Abakan) [19]
Calmúquia/Калмыкия (Elista) [08]
Carachai-Circássia/Карачаево-Черкесская (Cherkessk) [09]
Carélia/Карелия (Petrozavodsk) [10]
Chechênia/Чеченская (Grózni) [20 e 95]
Chuvashia/Чувашская (Cheboksary) [21 e 121]
Crimeia/Крым (Simferopol') [82]
Daguestão/Дагестан (Makhachkala) [05]
Iacútia/Якутия {também chamada de Sakha/Саха} (Yakutsk) [14]
Inguchétia/Ингушская (Magas) [06]
Komi/Коми (Syktyvkar) [11]
Mari-El/Марий-Эл (Yoshkar-Ola) [12]
Mordóvia/Мордовия (Saransk) [13 e 113]
Ossétia do Norte-Alânia/Северная Осетия-Алания (Vladikavkaz) [15]
Tartarstão/Татарlстан (Kazan) [16 e 116]
Tuva/Тыва (Kyzyl) [17]
Udmúrtia/Удмуртская (Ijevsk) [18]

Aeroporto em Naryan-Mar (fonte)
Região Autônoma (Автономий Округ)
Outra região que é parecida com as oblast' e krai, mas, por conta da tradição, mantém sua denominação. Todas elas ficam em regiões remotas e de difícil acesso, sempre no norte que fica congelado no inverno. A Tchukotka é aquela pontinha do país que quase toca no Alasca. Existem quatro Regiões Autônomas na Rússia:
Tchukotka/Чукотка (Anadyr) [87]
Khanty-Mansisky/Ханты-Мансийски [86]
Nenetsia/Ненец (Naryan-Mar) [83]
Iamalo-Nenets/Ямало-Ненец (Salekhard) [89]

É isso senhoras e senhores. Para alguém que estude ou simplesmente goste de saber sobre a geografia da Rússia, essa postagem pode ser útil. Qualquer comentário relativo à postagem, é só escrever aqui embaixo. Até a próxima!
Ler mais »

sexta-feira, 4 de novembro de 2016

4 de novembro: o dia da unidade nacional na Rússia

Olá! Depois de um longo silêncio (quase 4 meses), volto para escrever algo sobre o feriado de hoje: o Dia da Unidade Nacional.

Dia da Unidade Nacional 2016 (fonte)
Em 4 de novembro é comemorado o Dia da Unidade Nacional (День народного Единства em russo). Esse dia é reservado para recordar dois grandes herois nacionais, Kuzma Minin (Кузьма Минин) e Dmitry Pojarsky (Дмитрий Пожарский). Eles foram muito importantes no período chamado Tempo de Dificuldades (em russo  Смутное Время) e comandaram a Rússia a uma virada contra a Polônia, que tentavam aproveitar o momento de debilidade russo para tomar todo o país sob seu domínio (e de fato o conseguiram, por um período) no século XVI. Em 4 de novembro de 1612 eles ajudaram a expulsar as tropas poloneses de Moscou. A partir desse momento, a Rússia começou a se reorganizar, um novo tsar assumiu o trono em 1616 e finalmente em 1618 a Rússia expulsou os últimos poloneses e voltou a ser uma nação soberana.

Monumento a Minin e Pojarsky
Mesmo que o motivo do feriado seja a libertação da capital Moscou, o atual centro das celebrações é Nizhny Novgorod, terra natal de Pojarsky. As comemorações do feriado são feitas com paradas militares (mesmo que não tão grandes quanto as do dia da vitória) queima de fogos de artifício, canto do hino nacional e de canções patrióticas, depósito de flores em monumentos aos herois, como o que está na Praça Vermelha, bem na entrada da Basílica de São Basílio (a foto acima é um retrato desse momento). Na pequena Zaraysk que visitei, também há um monumento a Pojarsky.

No entanto, muitas pessoas nem sequer sabem do que é esse feriado. Nos tempos da URSS, no dia 7 de novembro era comemorado o dia da revolução socialista que tomou o poder em 1917 (oficialmente "Dia da Grande Revolução Socialista de Outubro"). Para dissociar a imagem da moderna Rússia da União Sovietica comunista, Boris Ieltsin, o primeiro presidente eleito do país, em 1990, mudou o nome do feriado de 7 de novembro para "O dia do Acordo e Reconciliação". Vladimir Putin, quando assumiu o poder no fim dos anos 90 acabou totalmente com o feriado, o que foi motivo de muita reclamação de grande parte da população (especialmente dos membros do partido socialista, que seguiam comemorando o dia). Em 2005, o então (e atual) presidente Putin reestabeleceu um feriado em meados de novembro, mas com o nome de "Dia da Unidade Nacional". Os russos no geral não gostaram de perder um feriado. Então, ele foi restabelecido em um dia próximo ao feriado antigo. Talvez por isso não tem tanta gente sabendo de que se trata o feriado e apenas o comemora.

4 de novembro. Dia da Unidade Nacional
Algumas enquetes feitas entre cidadãos (clicando aqui, você vai a uma enquete feita em 2014) mostram que os russos não sabem direito o que se comemora. Mesmo que na minha opinião já está melhorando. Disseram até que em 2016 metade da população já sabe do que se trata o feriado (fonte). Fiz uma enquete com meus alunos e o resultado foi mais ou menos esse mesmo (cerca de 50% sabia do que era o feriado). Encontrei inclusive um site que explica, passo a passo, o que se comemora  no dia 4 de novembro. Aqui em Tomsk não houve grandes comemorações. Na verdade foi apenas um dia sem trabalho. E as instituições de ensino, como a Universidade Estatal de Tomsk, emendaram o feriado (sábado é um dia de aula normal nas universidades daqui).

Bom, por ora é isso. Mais uma vez desculpem a longa ausência. Tentarei não ficar inativo tanto tempo, mas não posso garantir nada no momento. Até a próxima!
Ler mais »

quarta-feira, 6 de julho de 2016

Cidadezinha de Klin e Museu de Tchaikovsky

Olá amigos. No caminho entre Moscou e Tver há uma pequena cidade, quase na divisa entre as duas oblast (estados) que visitei e falo como é por lá. Ela se chama Klin.

Estação de Klin em janeiro de 2016
Bom, como disse, a cidade de Klin (Клин) fica na fronteira do território de Moscou, a 85 quilômetros da capital russa. No passado essa cidade parece ter pertencido à Tverskaya oblast, mas como aconteceu com Zaraysk por exemplo, Moscou incorporou essa cidadezinha a seu território. Segundo alguns registros, ela foi fundada em 1317 e possui cerca de 79 mil habitantes. De verdade há pouco para ver nessa cidadezinha. Um ou outro monumento aqui e ali, o memorial aos que faleceram na segunda guerra mundial e o que sobrou do antigo kremlin. Em algumas partes ele (o kremlin) até virou um conjunto de lojinhas. Ficou até legal para falar a verdade. Enfim, não há muito mesmo. O que há de mais interessante por lá realmente é o museu do compositor de música clássica russo mais conhecido chamado Piotr Ilitch Tchaikovsky (Пётр Илич Чайковский).

Um pouco do que sobrou do kremlin local
Para chegar à cidade, saindo da capital, você precisa ir até a estação Komsomolskaya (Комсомольская) na linha vermelha ou na linha marrom (circular) do metrô de Moscou. Lá você sai da estação, atravessa a rua e vai até a estação Leningradskaya, de onde saem os trens para São Petersburgo. Lá você deve comprar um bilhete para Klin e você tem duas opções: ir de elektritchka comum (que são so trens para médias distâncias), que para em muitas estações, que leva mais ou menos 1 hora e 45 minutos para chegar lá e é mais barato ou ir com a Lastotchka, que é o trem rápido que vai para Tver. Ele viaja a cerca de 130 km/h e chega em Klin em no maximo 50 minutos, mas é mais caro. Depende do que você quer e do seu tempo e dinheiro disponível. Eu recomendo a Lastotchka, porque além de rápida, é silenciosa e mais confortável. E de lá não é tão longe para uma outra cidade interessante e das mais antigas do país (e onde já estive) chamada Veliky Novgorod.

A imponente entrada do Museu-Casa de Tchaikovsky
Chegando em Klin, você pode escolher se vai andar pela cidade (e apenas ver prédios residenciais e um ou outro monumento) ou ir direto ao museu de Tchaikovsky. Inclusive na própria estação você já encontra um busto ao compositor. Para ir ao museu, na própria estação há um pequeno terminal no qual você pode pegar o ônibus que passa próximo ao museu. Mas não é qualquer ônibus não, é o número .... Esse é o que passa lá (ou perto). Você desce na parada "museu Tchaikovsky" e volta até a proezd Demyanovsky. Chegando a ela, você vai seguindo por ela até encontrar o museu, que é bem grande. Você vai chegar pela lateral, então é, só ir seguindo o muro até chegar à entrada. Existe também uma outra entrada, que fica indo para o outro lado do ponto de ônibus, mas nem sempre essa entrada está aberta, então, melhor ir a outra. Você pode ir andando também, mas é longe. O Google diz que você leva 37 minutos mais ou menos, mas na verdade você vai levar uns 45 ou 50. No inverno é difícil por causa do frio e da neve e no verão por causa do calor. Mas, se você gosta de andar, também dá.

Essa é a casa onde ele viveu
Falando sobre o museu em si, posso dizer que eu esperava um pouco mais dele pelo preço cobrado (500 rublos para estrangeiros e mais 150 para tirar fotos). O museu divide-se em dois prédios. O primeiro principal, tem algumas salas, mas elas eram apenas para palestras, banheiro e outras salas assim. Você precisa sair desse prédio principal, andar por um jardim onde há uma grande estátua do compositor que, apesar de ter o seu museu lá, passou apenas um pouco mais de um ano lá (se não me engano por volta de 1892/93) e entra na casa onde viveu o músico. Ela tem dois andares e parece que ele acabou de sair para dar uma volta e logo volta. A casa não é tão grande e, logo que você entra, tem que subir umas escadas de madeira para ir até a parte do museu em si, que fica no segundo andar. Quando você sai da escada, chega a uma grande sala, com móveis antigos, sofás, o piano que ele provavelmente tocou alguma coisa e, na parede, em um canto, tem umas fotos do ilustre residente morto, antes de ser enterrado. Algo meio sinistro, mas as fotos são bem antigas, então, não dá para ver muito bem. Uma coisa muito ruim é que os quartos parelelos estão abertos, mas você não pode entrar neles! Nas soleiras das portas estão umas correntes que não deixam você entrar. E nem são muitos na verdade. Uns dois são como quartos onde ele dormia, uma sala com uma lareira, algo parecido com uma cozinha e só. A casa dele, que deveria ser algo bem melhor, tem apenas isso para te mostrar. Decepcionante, eu diria. O museu até oferece visitas guiadas em russo, inglês e alemão (e talvez mais línguas), mas que já custa nem sei quanto. Nem me interessei em saber na verdade.

A (única) sala do museu que você pode andar livremente
É isso amigos. Eu diria que só vale a pena visitar esse museu e, por consequencia, a cidade de Klin, se você é um ardoroso fã de Tchaikovsky. Se apenas gosta um pouco ou nunca ouviu falar dele, acho que não terá muito que fazer por lá. Mas claro que você decide se vale a pena ou não. Até a próxima!

Museu-casa em homenagem a P. I. Tchaikovsky
Endereço: Ulitsa Tchaikovskogo, 49, Klin, Moskovskaya Oblast', Rússia
Horário de funcionamento: de sexta a terça, das 10:00 às 18:00 (embora o Google diga o contrário). Quarta e quinta: fechado
Preço: 500 rublos para estrangeiros e 250 para russo. 150 rublos para tirar fotos
Telefone: +7 496 245-81-96
Ler mais »

sexta-feira, 1 de julho de 2016

Como e quais são os documentos dos russos

Carteira de motorista russa ligeiramente alterada e explicada
Olá você que me acompanha sempre ou caiu aqui por acidente. Falarei para você hoje sobre quais e como são os documebtos que o russo médio possui para ser considerado um cidadão em pleno exercício de seus direitos legais garantidos pela constituição da Federação Russa.

Alguns documentos são exatamente os mesmos que temos no Brasil ou em qualquer outro lugar, embora com formato e lay out diferentes. Alguns deles são certidão de nascimento, carteira de motorista, cpf, passaporte para viagens internacionais etc. Entretanto, há alguns documentos que podem parecer algo estranhos a um brasileiro comum. Na verdade eu diria que os mais diferentes são passaporte interno e a carteira de trabalho. Vamos a eles então.

Passaportes russos. Interno (esq.) e internacional (dir.)
Passaporte interno - se no Brasil usamos o RG que contém os dados básicos da pessoa, os russos têm um passaporte interno. Ele se parece com o passaporte internacional, com o brasão do país na capa e letras em dourado. Mas o passaporte interno tem a capa bordô, quase marrom clara, que vai ficando quase preta com o passar dos anos. Nele estão a foto e dados da pessoa, como no nosso RG. Além dessas informações há outras coisas como estado civil e o endereço onde ela está registrada. Por isso meus alunos (e todos os outros russos) não entendem nada quando aparece um "comprovante de endereço" em alguma atividade que fazemos nas aulas, já que não pode haver prova maior do endereço de alguém do que o que está no seu documento mais importante. Os russos tiram seu primeiro passaporte aos 14 anos. Antes disso eles usam a certidão de nascimento. Depois trocam o passaporte aos 25 anos e depois trocam pela última vez aos 45. Exceto nesses períodos, a pessoa permanece com o mesmo passaporte. As mulheres podem trocar a qualquer momento que se casem e troquem de sobrenome. Se a pessoa vai morar em outra cidade, ela mudará de endereço. Nesse caso ela não troca de passaporte, apenas muda seu local de registro.

Carteira de trabalho russa e sua primeira página
Carteira de trabalho - carteira de trabalho dos russos também tem a capa azul, mas em vez da cor escura e plastificada, ela pode ser azul clara ou azul escura e a capa é de um papel mais grosso, parecido com uma cartolina sem revestimento plástico. Em russo ela se chama Трудовая книжка (Trudovaya knijka - livrinho de trabalho). O mais incrível é que você não precisa ir a uma repartição oficial para obter uma. Você a compra nas bancas de jornais. Isso mesmo, nas bancas de jornais você compra uma. E qualquer um pode comprar. Pode até ser um suvenir, por que não? Por dentro ela é mais resumida que a CTPS brasileira e o seu empregador fica com ela por todo o período que você trabalha para ele. Você só torna a vê-la no momento que sai do trabalho e assina os papéis de desligamento da empresa. 

O CPF de um russo
Título de eleitor - os russos não têm um título de eleitor propriamente dito. Eles já sabem onde devem ir votar e no dia das eleições eles se dirigem a esse local (que, como no Brasil, pode ser uma escola ou uma universidade) e mostram seu passaporte. Lá eles recebem um papel comprovando que eles estiveram lá e votaram, como no Brasil. O voto não é obrigatório na Rússia, então, não há multa caso a pessoa não compareça às urnas. Esse é um dos documentos que os russos menos entendem para que serve quando lhes digo como ele é e que no Brasil, se você levar apenas o seu título de eleitor, sem documento com foto, você não vota. Ao passo que, se levar apenas um documento com foto e não levar o título, vota sem problemas. Na verdade eu também não entendo bem para que ele serve (na verdade sei: só para te atrapalhar, caso você não o tenha).

Cartão da previdência - o cartão de previdência russo é um cartão de papel e que pode ser plastificado, como era o antigo CIC (lembra?). Até a cor é meio parecida, um pouco cinza e esverdeada. Em russo ele se chama пенсионное страхование (pensionnoye strakhovannye - seguro de previdência). Esse cartão contém o seu número de previdência e é importante para a sua aposentadoria (que como no Brasil, vai mal das pernas).

E esse é o cartão de previdência
CPF - o CPF russo, que se chama ИНН - Индивидуальный номер налогоплательщика (INN - individualny nomer nalogoplatelshchika - número individual do contribuinte) é bem diferente do braisleiro. É uma folha de papel A4 com um monte de informações. Quando mostro o CPF brasileiro as pessoas dizem "que interessante, o nosso deveria ser assim também". Ele serve para você conseguir pargar alguns impostos. E só. Talvez por isso tenho a impressão que ele tenha um importância um pouco menor comparado com outros.

Bom, por ora é isso amigos. Se tiver alguma pergunta sobre os documetnos dos russos, pode perguntar. Vou fazer o melhor para responder. Até a próxima!
Ler mais »

sábado, 25 de junho de 2016

O metrô de São Petersburgo

Olá amigos. Eu gosto muito de trens e tudo relacionado a eles. Quando chego a uma cidade e ela tem metrô, já dou um jeito de ir experimentá-lo. Usei bastante o metrô em São Perersburgo e lhes conto como ele é.

Mapa do metrô de São Petersburgo
A primeira linha do metrô de São Petersburgo foi inaugurada em 1955. Como foi a primeira da cidade e foi fundada nos tempos socialistas, é lógico pensar porque a cor dela é vermelha. Outras foram sendo construídas e entregues à população ao longo dos anos, sendo a última linha nova a lilás, de 2008. Hoje são cinco linhas, respectivamente de 1 a 5: vermelha, azul, verde, laranja e lilás. Não há uma linha circular que liga diversas linhas como no metrô de Moscou, mas não parece ser necessário (apesar de parecer que estão esboçando algo assim, com a linha 6, marrom). No centro da cidade as linhas são todas bem ligadas e em uma mesma estação pode ter até três linhas diferentes. Isso é bom, mas, como no metrô moscovita, quando a estação está em uma linha, ela tem um nome e quando está em outra linha, tem outro nome. E é a mesma estação, estão no mesmo lugar. Algo meio estranho para mim, mas parece ser comum na Rússia. O metrô de São Petersburgo já me parece bem completo mas continua em expansão. Três estações na linha lilás estão em construção e há projetos para a construção de novas linhas que levem para outras partes da cidade mais afastadas do centro.
Ler mais »

segunda-feira, 20 de junho de 2016

Tver: minha primeira decepção na Rússia

Olá amigos! Nas férias de janeiro estivemos em Tver duas vezes, mas só resolvi escrever sobre esse lugar agora. Olha só o que encontramos por lá.

Moscou (embaixo e com pontos vermelhos) - Tver (lá em cina)
Para começar, Tver (Тверь) é uma cidade antiga (foi fundada em 1136) e fica a noroeste da capital russa. No passado ela era uma cidade muito rica e poderosa por conta do comércio, que era favorecido por sua posição estratégica, bem no meio do caminho entre Moscou e Veliky Novgorod, as duas cidades mais importantes do território russo na idade média, quando a Rússia ainda não era um país unificado. Os comerciantes de Veliky Novgorod passavam por Tver e sempre faziam negócios com os locais e depois rumavam para Moscou. O mesmo se dava na rota inversa. Além disso, os comerciantes de Novgorod iam até bem ao sul, já na Grécia, para fazer negócis e sempre tinham em Tver um ponto para fazer mais alguns negócios. Ironicamente, Tver teve a mesma sorte que Veliky Novgorod quando Ivã IV, o Terrível chegou ao poder: a cidade foi brutalmente tomada de assalto e incorporada contra sua vontade à Rússia unificada sob o comando de Moscou. Em 1931 a cidade foi renomeada para Kalinin (Калинин), que é o nome de um importante revolucionário soviético que está inclusive enterrado na necrópole do kremlin de Moscou. Em 1990 a cidade retomou seu nome antigo e desde então se mantem como Tver.
Ler mais »

segunda-feira, 13 de junho de 2016

Matryoshka: aquela bonequinha da Rússia

Olá caros amigos. Hoje quero falar para vocês sobre algo que quem é familiarizado com a cultura russa conhece muito bem: a matryoshka.

Alguns personagens importantes da Rússia
A matryoshka  (матрёшка), que no Brasil também chamam por matriosca, é  aquela bonequinha feita de madeira que você vai abrindo e tirando várias outras bonequinhas cada vez menores uma de dentro da outra. As menores têm duas ou três bonecas. A maior que lembro de ter visto tinha dez! Elas são muito decoradas e normalmente mostram um mulher em roupas tradicionais russas dos séculos XVIII e XIX. Mas nem sempre as matryoshkas são mulheres. Tenho uma em casa que a maior é um pinheiro de ano novo, a segunda é um Ded Moroz, o "papai Noel russo" e a terceira e menor é um boneco de neve. Minha esposa gosta muito dessa matryoshka. Eu ganhei de presente de dia do homem das minhas alunas uma matryoshka que em vez de uma mulher tem desenhos de ursos nos quatro bonecos que a compõe. Bem bonitinha a matryoshka, posso dizer.

A matryoshka original de Malyutin
A história da matryoshka começa no fim do século XIX, quando havia um grande movimento social para promover a cultura popular russa, em detrimento da importação de cultura de outros países, especialmente da França. Para ajudar a alavancar a promoção da cultura, foi fundada uma oficina para a produção de brinquedos tipicamente russos. Pelo que entendi, nessa oficina havia um cara chamado Malyutin, que era um pintor e representante do "estilo russo", que predominava nas artes naquele momento. Ele foi o idealizador da matryoshka, inspirado em um boneco japonês que pertencia à esposa de um homem chamado Mamontov. Malyutin desenhou como seria a versão russa desse boneco, com roupas tradicionais da mulher russa e encarregou um homem chamado V. Zvyozdotchkin de tirar a ideia do papel e colocar na prática. O boneco japonês mostrava de um velho e dentro havia outros bonecos. A versão de Malyutin tinha uma mulher com um sarafan (vestido tradicional russo), uma blusa bordada, um xale florido, um avental e um galo preto nas mãos. Dentro havia um menino. Dentro dele uma menina e assim sucessivamente até chegar ao último boneco (oitavo), que era um bebê enrolado em panos. Todos os bonecos eram diferentes. A partir daí a ideia da matryoshka começou a se popularizar até se tornar o que é hoje, uma das marcas registradas da Rússia. Hoje em dia ela é feita com a mesma técnica utilizada por Zvyozdotchkin e é produzida predominantemente de tília, mas às vezes pode ser feita de bétula também.

Matryoshka de 37 peças que encontrei na Wikipédia russa
O nome matryoshka não foi escolhido por acaso. Desde antes dos tempos do desenvolvimento do brinquedo até a revolução socialista, Matryona era o nome mais comum entre as mulheres do campo. Os russos sempre desenvolvem um apelido para seus nomes e havia versões do nome Matryona como Matryosha, Matryoshka etc. O nome Matryona vem da palavra mater (матер) que é uma palavra antiga para "mãe". Com o passar do tempo, Matryona acabou sendo associado às mulheres que tinham muitos filhos e que tinham boa saúde e formas bastante arredondadas, que era o padrão estético da mulher russa do campo daqueles tempos, ao qual a matryoshka faz jus (ela é bem redondinha). A matryoshka também é um símbolo de fertilidade e da maternidade. Como disse no começo do parágrafo, esse nome não foi escolhido à toa.

Museu da matryoshka em Serguiev Posad
A matryoshka é um presente bem legal para se trazer para as pessoas quando você volta de uma viagem à Rússia. Em Moscou e São Petersburgo elas são mais caras, mas essas cidades são mais caras em tudo, não apenas no preço da boneca. Normalmente seu preço varia entre 300 e 600 rublos, mas você pode encontrar algumas de 5000 rublos ou mais, depende do que é feita a matryoshka, de quantos bonecos ela tem dentro, como e com o que ela é decorada etc.

Por ser algo tão marcante da cultura russa, algumas (várias) cidades têm um museu dedicado ao brinquedo. Sei sobre museus de matryoshka em Moscou que fica na Leontyevsky Pereulok, uma travessa da Bolshaya Nikitskaya, a rua da embaixada brasileira em Moscou, mas o museu e a embaixada não ficam próximos; em Nijny Novgorod, em Nolinsk (Kirovskaya Oblast), Kalyazin (Tverskaya Oblast), Voznesenskoe raion (Nijegorodskaya Oblast) e em Serguiev Possad, uma cidadezinha ao lado de Moscou e que é terra natal de Zvyozdotchkin.

É isso amigos. Quando estiver pela Rússia, considere comprar uma para levar de recordação da sua viagem. Ela é a cara da Rússia. Se tiver alguma pergunta ou comentário, deixe aqui embaixo. Até a próxima!
Ler mais »

segunda-feira, 6 de junho de 2016

A embaixada brasileira em Moscou

Olá pessoal. Semanas atrás precisei dos serviços da embaixada brasileira em Moscou e lhes conto como foi essa experiência.

O bonito prédio da embaixada
Primeiro: por que eu precisei ir à embaixada? Eu precisava de um passaporte novo, porque o meu antigo expiraria em janeiro de 2017. E eu não poderia colocar um visto de trabalho de duração de um ano em um passaporte que expiraria em seis meses. Além disso, seis meses antes do seu passaporte vencer, ele já não vale mais nada.

Tudo isto posto, telefonei para a embaixada e perguntei o que deveria fazer. Eles me pediram para mandar um email ao setor consular solicitando o agendamento de um horário de atendimento. Mandei o email e eles marcaram uma hora para mim (11:00 da manhã). Claro que a minha maior dúvida era quanto tempo levaria para ficar pronto. Para a minha surpresa me informaram que o passaporte fica pronto no mesmo dia, em mais ou menos meia hora. Só precisava levar um requerimento de solicitação de passaporte preenchido no computador, que você encontra no site do Itamaraty, ou clicando aqui (só ir lá embaixo em "iniciar novo requerimento"), uma foto 3x4 com fundo branco e sem sorriso (isso é importante, algumas pessoas querem sorrir nas fotos oficiais e isso não pode), seu passaporte antigo e pagar 400 reais-ouro (quando fui tirar o meu em maio de 2016 isso equivalia a 9600 rublos). Não é um grande trabalho de verdade, só tem mesmo que aguardar um pouco e logo você tem o seu passaporte novinho em folha e o melhor, válido por 10 anos.
Ler mais »