quarta-feira, 17 de setembro de 2014

O metrô de Moscou

Olá leitores! Aqui estou de novo, dessa vez para falar sobre o metrô de Moscou, que, se tem coisas muito interessantes, também tem coisas a aprender com os metrôs brasileiros.

Mapa do metrô de Moscou em 2014
Para começar, um pouco de história e números: o metrô de Moscou foi inaugurado em 1935 e tem 12 linhas, a última delas construída em 2003. Conta com 194 estações distribuídas ao longo de 325 km, sendo o sexto mais extenso do mundo. É o metrô que transporta o maior número de pessoas do planeta, com mais de 3 bilhões de passageiros por ano. O bilhete de uma viagem custa 50 rublos (você pode saber a cotação de hoje clicando aqui). Uma dica: se estiver viajando por Moscou, compre os bilhetes de mais viagens (acima de 5 viagens). Os de 1 e 2 viagens são válidos por cinco dias apenas. Os que são acima de 5 valem por 90 dias. Além disso, quanto mais tempo você passar na cidade, melhor será comprar mais passagens, porque o preço vai caindo. O bilhete de 60 viagens, por exemplo, custa 1300 rublos, bem menos que os 2400 rublos que você pagaria de um em um bilhete.

Em Moscou há uma grande malha metroviária, que cobre a cidade inteira. Um outro ponto positivo do metrô é que tem wifi gratuito dentro dos vagões e você pode usar tranquilamente, sem necessidade de senhas. O sinal não é o melhor, mas dá para navegar razoavelmente bem. Além disso, em todas as estações, nas extremidades da plataforma, existe um relógio mostrando há quantos minutos o último trem foi embora. Ele serve para te ajudar a calcular quando vai aparecer o próximo trem, porque o tempo médio de espera por um trem é de 2 minutos. Apenas nos fins de semana esse intervalo pode chegar a 5 minutos. Se a demora vai além disso, as pessoas já têm quase certeza que algo muito sério aconteceu. Falando em estações, outro capítulo a parte são as construções das estações. Muitas se assemelham a galerias de arte e tem um hall muito bonito e impressionantemente artístico, com grandes colunas e mosaicos nas paredes. Algo muito belo. Uma outra coisa interessante é que você pode dar sorte e fazer a viagem em um dos quatro carros especiais do metrô. Falarei mais sobre eles em outra postagem.
Trem na estação Universitet
O problema são os trens usados no transporte, já bem antigos. Alguns carros são da década de 70, outros dos anos 80. Para conseguir conversar dentro do metrô em Moscou, você precisa quase gritar para ser ouvido. Além disso, os bancos são dispostos nas laterais dos carros, sem divisórias entre as pessoas. Então, você vai ombro a ombro com toda a sorte de gente e sempre olhando para a cara de outras pessoas que estão de frente para você. Além disso, no inverno uma coisa curiosa e desagradável: quando o metrô passa pela superfície (isso acontece poucas vezes), entra neve pelo ar condicionado. É muito pouco, mas acontece. E um desses flocos de neve pode cair exatamente dentro da sua blusa, o que vai te fazer tremer.  Afora isso, dentro do trem é quentinho. 

A forma como são organizadas as informações das linhas no metrô moscovita também é diferente do que estamos habituados no Brasil. Em vez de ver uma placa com o nome da última estação no sentido para aonde você vai, a placa suspensa mostra qual é a próxima estação e quantas faltam até o final da linha. Então, você pode ir para o metrô sem saber para qual sentido você vai se locomover, basta saber o nome da sua estação e procurá-la no painel, de qual lado ela está e como ver qual direção o trem vai para chegar nela. Parece estranho mas depois de duas ou três viagens você se acostuma e até gosta. Uma curiosidade é que, quando o metrô vai para o centro, a voz que anuncia as estações é masculina. Quando vai do centro para os bairros, a voz é feminina. Na linha circular, quando o metrô viaja no sentido horário a voz é masculina e no sentido contrário é feminina. Isso serve para orientar as pessoas com deficiência visual a se orientar no intrincado sistema metroviário da capital russa.

Placa mostrando as estações na plataforma
Não usei todas as linhas de metrô de Moscou, apenas a linha vermelha. Mas minha esposa, que viveu alguns anos em Moscou, afirmou que todas as linhas são mais ou menos a mesma coisa. Com essa linha vermelha você consegue chegar aos pontos principais da cidade, como a Praça Vermelha, Kremlin, Duma, Basílica de São Basílio e o Teatro Bolshoi descendo na estação Okhotniy Ryad (Охотниый Ряд). Para visitar Vorobiyovy Gory (Воробьёвы Горы), onde há um belo mirante com vista para Moscou, a MGU - Universidade Estatal de Moscou e arredores, desça na estação Universitet (Университет). Para conhecer a grande Igreja do Cristo Redentor, saia na estação Kropotkinskaya  (Кропоткинская), mas dá para vir andando desde a Okhotniy Ryad também.

Mesmo com todos os problemas, a melhor forma de conhecer Moscou, sem dúvida, é o metrô. Porque lá em cima, na superfície, o trânsito é terrível. Muitas pessoas que têm carro preferem deixá-lo em casa e ir de metrô para o trabalho, pois sabem que vão perder muito tempo, paciência e combustível parados no trânsito infernal da capital russa.

A letra M vermelha mostra onde tem metrô
Para terminar, uma lenda sobre o metrô: dizem que existe uma linha secreta do metrô, que funcionaria entre o Kremlin e a MGU. Quando você viaja pela linha vermelha, quando os trens param para dar espaço um para o outro, é possível ver um pedaço de uma construção do que seria uma estação, mas que os vagões jamais passaram por lá. Além disso, os estudantes da universidade também não têm ideia de como o reitor chega e sai da universidade. Ninguém jamais o viu chegando de forma nenhuma, seja de carro, taxi, helicóptero ou qualquer outra maneira. Dizem que ele se utiliza desse trem secreto. A Universidade é considerada um ponto estratégico na cidade, já que, para baixo da universidade existem alguns andares, que ninguém sabe exatamente quantos. Algumas poucas pessoas têm acesso ao terceiro subsolo. Abaixo disso, é proibido por lei para qualquer pessoas descer. Há quem diga que é um abrigo para possíveis ataques nucleares contra a capital russa.

Por enquanto é isso. Prosseguiremos falando sobre transportes em breve. Até a próxima!


4 comentários:

  1. as estaçoes sao divididas por cores ou numeros?

    ResponderExcluir
  2. Estou a ver que vou ficar com dificuldades quanto ao alfabeto russo para decifrar as estações do metro de Moscovo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se estudar bem o alfabeto (tenho postagem sobre ele aqui no blog) não ficará não, posso garantir.

      Excluir

Antes de comentar, é preciso saber que existem algumas regras por aqui:
1 - os comentários sempre são moderados. Se escrever uma vez e parecer que deu erro, não deu não.
2 - se for perguntar algo, verifique se sua pergunta tem a ver com a postagem onde vai comentar. Se não tiver, o comentário será ignorado.
3 - se pensa em pedir alguma ajuda para imigrar para a Rússia (quase todos os dias recebo esse tipo de mensagem), nem perca seu tempo.
4 - seja educado. Afinal de contas, dizer "olá" e "obrigado" não custa nada.
5 - quer dar alguma sugestão para postagem? Inscreva-se no blog primeiro. Assim os dois se ajudam.

Se conseguir observar tudo isso acima (e não é difícil, convenhamos), seu comentário é muito bem-vindo.