quarta-feira, 26 de novembro de 2014

A Praça Vermelha em Moscou

Olá amigos. Aqui estou para falar do lugar mais conhecido da Rússia, aquele que sempre vem a cabeça de qualquer um que pensa na Rússia, mesmo que não saiba seu nome: a Praça Vermelha.

Praça Vermelha. Basílica de São Basílio  Kremlin ao fundo
A história da Praça Vermelha (Красная Площадь) começa de uma forma bastante diferente. Antes lá havia casas de possad (посад), um bairro perto de Kremlin onde moravam as pessoas mais simples. No século XV esse bairro pegou fogo e queimou totalmente. O local ficou vazio e conhecido como Pojar (пожар - incêndio). Alguns anos depois Ivã IV, o Terrível mandou construir a grande Basílica de São Basílio (Собор Василия Блаженного) neste local. As pessoas pararam de chama-lo de Pojar e começaram a chamar de Krasnaya Ploschad' (Praça Vermelha), porque a basílica era muito bonita e naquele tempo "krasnaya" significava também "bonita", "linda". Anos mais tarde, o czar Aleksey decretou que a partir de então a praça se chamaria para sempre assim.

Museu Histórico e portão de entrada da praça à esquerda
Se você for de metrô, vai entrar pelo portão de entrada da Praça Vermelha, que se chama Voskresenskye Vorota (Воскресенские Ворота). Nos tempos de Ivã, o Terrível, entre os dois portões havia um buraco onde eram mantidos leões que rugiam muito tempo. Isso era para mostrar como eram as coisas e quem é que mandava na Rússia. Essa entrada é o que sobrou de uma fortificação que ficava ao lado do Kremlin e cercava um dos bairros mais antigos de Moscou chamado Kitai-Gorod (Китай-Город). Esse forte era mais novo que o Kremlin e mais baixo também, mas era possível andar a cavalo dentro dele e onde se poderia carregar artilharia pesada também. No início dos tempos soviéticos, os portões de entrada e as paredes dessa Kitai-Gorod foram derrubados para permitir o trânsito de carros no lugar. Ao menos os portões foram completamente reconstruídos nos anos 90, durante o governo de Boris Yeltsin. Bem em frente aos portões está o marco zero da cidade de Moscou e centro do Império Russo.

Catedral de Kazan de Moscou dentro da Praça Vermelha
À direita da entrada da Praça Vermelha fica a Catedral Kazan de Moscou (Казанский собор) onde é guardado um dos ícones mais importantes da igreja ortodoxa chamado Mãe de Deus de Kazan (икона Казанской Божьей Матери). A lenda fala que em século XVI quando a cidade de Kazan pegou fogo, uma moradora sonhou que havia um ícone enterrado sob os destroços. Procuraram e realmente encontraram o ícone onde ela indicou. A catedral foi derrubada em 1936 e reconstruída em 1996. Do lado esquerdo da entrada, em oposição a Catedral de Kazan de Moscou fica o prédio do Museu Histórico Estatal (Государственный исторический музей), onde é possível ver diversos objetos que remontam à história da Rússia.  O lugar sempre tem filas muito longas.

Monumento a Minin e Pojarsky que "atrapalhava" as paradas
Na Praça Vermelha fica a Basílica de São Basílio, que  é o prédio mais conhecido da Rússia (quiçá do mundo), com suas cúpulas multicoloridas e de formato bastante peculiar. Perto da basílica fica o Lobnoye Mesto (Лобное место), que é um circulo de pedra que não chama atenção, mas que foi muito importante. Lá era o lugar onde liam (gritavam) os decretos do tzar, o que equivale hoje a quando uma lei começa a valer de verdade. Mais uma atração na frente da Basílica de São Basílio é o Monumento a Minin e Pojarsky (Памятник Минину и Пожарскому), dois heróis nacionais da Rússia e que tem até seu próprio feriado. Ele ficava bem no centro da Praça Vermelha, mas Stalin mandou movimentá-lo para frente da basílica, porque ele atrapalhava as grandes paradas militares sovieticas. Atrás da basílica há uma ponte que passa sobre o rio Moscou e liga a Praça Vermelha com uma outra parte da cidade.

O enorme shopping GUM do lado esquerdo da Praça Vermelha
Do lado direito da entrada principal da Praça Vermelha está o Kremlin de Moscou (Кремль), que é uma fortaleza antiga, construída para defender a cidade dos ataques de povos inimigos que tentavam conquistar a cidade. Dentro do complexo do Kremlin está o palácio governamental, onde trabalha o presidente. Encostado ao muro do Kremlin, ainda do lado de dentro da praça, fica uma atração que pode ser interessante para os mais chegados nas ideias comunistas: o mausoléu construído para o líder da revolução socialista, Vladimir Ilitch Lênin. O corpo dele, que faleceu em 21 janeiro de 1924, está lá embalsamado para ser visitado. Existem diversas condições para se fazer a visita como dias específicos de visitação, não poder tirar fotos, proibição de tocar em qualquer coisa e até mesmo de falar lá dentro, além de ser algo que acontece rápido. Oposto ao muro do Kremlin fica o shopping center mais famoso de Moscou que se chama GUM (ГУМ). A noite ele é iluminado por milhares de lâmpadas.

mausoleum lenin red sqaure moscow russia
Mausoléu de Lênin e Torre Spasskaya do Kremlin ao fundo
Porém, a Praça Vermelha não se resume a prédios históricos. Existem atrações sazonais também. Por exemplo, no fim de ano, quando já tem neve, é construído um ringue de patinação no gelo no qual qualquer um pode entrar e fazer isso (pagando, claro). No fim do ano é montado um grande árvore de Ano Novo na Praça Vermelha também. Além disso, nas duas datas mais importantes da Rússia (1 de janeiro e 9 de maio) há uma grande queima de fogos de artifício lá.  Enfim, são muitas atrações.

Mas, se você quiser visitar apenas a Praça Vermelha, sem nada dessas coisas e ver como é tudo por lá, é bom não ir nessas datas: dois dias antes e depois do 9 de maio, dia da vitória; no dia 25 de maio, dia da cultura e escrita eslava; no começo de junho (ao menos em 2015 foi assim) toda a praça é fechada e montado um circuito para uma competição automobilística chamada Fórmula E; dois dias antes e depois do 12 de junho, o dia da Rússia; no fim de agosto/começo de setembro, quando acontece o festival de orquestras da Torre Spasskaya e que dão lugar a diversas comemorações, com pista de equitação e coisas assim; no inverno a pista de patinação é montada na Praça Vermelha e é quase impossível ver qualquer coisa por lá.

Por enquanto é isso, pessoal. Vocês podem sentir falta de alguma coisa aqui, mas podem comentar que eu venho aqui e falo sobre essa atração, ok? Até a próxima!

4 comentários:

  1. Oi, Luciano!
    Como este post é de 2014, tem como me confirmar os dias que a Praça Vermelha ficará fechada este ano para as comemorações do dia 9 de maio? Seria mesmo dois dias antes e dois dias depois (de 7 a 11)?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Paula!
      Bom, não posso confirmar totalmente, mas normalmente é assim todos os anos. Suponho que não mudarão nada para esse ano, já que não há nada de novo nesse ano.

      Excluir
  2. Oi Luciano!
    Sou nova no seu blog, e estou amando tudo, principalmente porque um dia quero visitar a Rússia. Tenho uma sugestão de matéria, não sei se interessa, mas acho legal falar sobre o Exército Vermelho.. Nunca vejo nada sobre e tenho muita curiosidade sobre o passado dele, a atualidade. :) Desde já agradeço por tudo que tem feio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Letácia!
      Muito obrigado pelas palavras. Infelizmente como tenho trabalhado muito, não consigo escrever nada por aqui, mas quando as férias chegarem (em junho), penso em voltar a fazer algumas postagens.
      Obrigado pela sugestão, vou ver o que consigo encontrar sobre o Exército (e acho que vou encontrar muita coisa) e escrevo sobre ele. É um assunto que também me interessa.
      Até a próxima!

      Excluir

Antes de comentar, é preciso saber que existem algumas regras por aqui:
1 - os comentários sempre são moderados. Se escrever uma vez e parecer que deu erro, não deu não.
2 - se for perguntar algo, verifique se sua pergunta tem a ver com a postagem onde vai comentar. Se não tiver, o comentário será ignorado.
3 - se pensa em pedir alguma ajuda para imigrar para a Rússia (quase todos os dias recebo esse tipo de mensagem), nem perca seu tempo.
4 - seja educado. Afinal de contas, dizer "olá" e "obrigado" não custa nada.
5 - quer dar alguma sugestão para postagem? Inscreva-se no blog primeiro. Assim os dois se ajudam.

Se conseguir observar tudo isso acima (e não é difícil, convenhamos), seu comentário é muito bem-vindo.